A Cultura de MS


Mato Grosso do Sul, localizado no coração da América do Sul, é o estado da nação a fazer divisa com outros cinco estados (Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e Paraná) e dois países (Paraguai e Bolívia). De posição estratégica, apresenta características histórico geográficas e socioculturais, que o distingue dos demais estados brasileiros. Por suas divisas e fronteiras vários povos adentraram, trazendo sua cultura e seus saberes. Desse contato, emergiu de forma singular, uma cultura híbrida, indígena, fronteiriça e transculturada, resultando em uma diversidade que merece proposições de programas voltados a atender às várias matrizes que compõem essa malha cultural, considerando o passado, presente e futuro.É indiscutível que por meio da cultura e de ações culturais, promove-se a integração, a educação e a inclusão das pessoas do lugar, além do bem estar. Desse modo, o Programa Cultura MS proposto pelo governo do estado objetiva promover o desenvolvimento humano, social e econômico, institucionalizando um processo de gestão cultural democrática e permanente entre sociedade e poder público, de forma a valorizar e praticar a cultura nas três dimensões: simbólica, cidadã e econômica.

Há um acúmulo de discussões e debates que vem sendo feitos nos últimos trinta anos em Mato Grosso do Sul entre o poder público e a sociedade civil no entendimento, formulação e vivências de políticas para a área cultural.  Em 2013, a elaboração da Lei do Sistema Estadual de Cultura – (SIEC/MS) e o Plano Estadual de Cultura (PEC/MS), contribuiu para consolidar ainda mais conceitos, proposições e contribuições coletivas diversas.  Atualmente, com o estímulo à formação e fortalecimento dos Colegiados Setoriais Estaduais, amplia-se a participação e democratização das instâncias de formulação, acompanhamento e avaliação  da políticas culturais.  Desse modo, trabalhamos para que o Estado promova o respeito à diversidade e assegure de forma democrática e permanente os direitos culturais de todos.

É sabido que a cultura reflete o modo de ser, pensar e agir de uma sociedade.  Cada qual tem sua identidade, seus valores e modos próprios de expressão.  Uma das riquezas do mundo moderno reside no reconhecimento e valorização da diversidade cultural que o compõe. O território sul-mato-grossense tem uma pluralidade cultural advinda da formação de sua malha social que, apesar de valiosa, é ainda pouco reconhecida, valorizada, protegida e difundida. Compreendendo a cultura a partir da ótica dos direitos e liberdades do cidadão, sendo o Estado um instrumento para efetivação desses direitos e garantia de igualdade de condições, buscamos mecanismos para que o acesso à cultura se expanda e com ele o fomento às artes se amplie, estimulando a  reflexão,  formação, criação, produção, crítica, circulação, promoção, difusão, intercâmbio, troca de saberes e fazeres, cooperação, consumo, registro, documentação e memória.  Trabalhamos para que a presença da arte e da cultura esteja nos mais diversos ambientes sociais, especialmente no ambiente  educacional,   colaborando e aprofundando o processo de integração estadual, absorvendo os recursos tecnológicos, garantindo as conexões locais com os fluxos culturais contemporâneos e centros culturais regionais, nacionais e internacionais. E acima de tudo, trabalhamos para consolidar uma política pública para a cultura de forma transparente, democrática e participativa.

O Mato Grosso do Sul tem um patrimônio histórico artístico, material e imaterial extraordinário, proveniente de uma região historicamente com influências diversas que formaram e formam sua identidade cultural. Proteger e promover tal patrimônio torna-se cada vez mais necessário na afirmação da riqueza e singularidade da região pantaneira, de natureza exuberante e generosa, dos saberes populares, terra dos povos indígenas, palco da Guerra do Paraguai,  da peculiaridade da miscigenação cultural fronteiriça, um vasto universo de valores tangíveis e intangíveis.  Urge que esse patrimônio seja cada vez mais reconhecido, preservado e difundido, permitindo a todos o cultivo da memória comum, da história, dos testemunhos do passado, para que nos percebamos no presente e avancemos com humanidade.