Construção de agenda comum do agronegócio entre Brasil e Paraguai tem participação de MS


Kelly Ventorim Categorias: Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul 160 visualizações

Ministra Tereza Cristina recebeu ministro da Agricultura do Paraguai e comitiva de Mato Grosso do Sul em audiência no Mapa

Campo Grande (MS) – A construção de uma agenda comum entre o Brasil e o Paraguai sobre assuntos do agronegócio foi elaborada em reunião realizada nesta sexta-feira (15.3) entre a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina e o ministro da Agricultura do Paraguai, Denis Lich, com participação do secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal e o  Secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar de Mato Grosso do Sul, Jaime Verruck.

A melhoria no fluxo de aprovação das importações nas fronteiras dos dois países, onde hoje há divergências na documentação para entrada de produtos, foi um dos primeiros temas discutidos, seguido do programa nacional de erradicação da febre aftosa.

Sobre este último assunto, o representante paraguaio afirmou a intenção de não retirar a vacinação em 2021, como está previsto no Brasil, para manter os níveis de controle do País, e o secretário de Mato Grosso do Sul destacou a importância da discussão com Ministério da Agricultura e o Governo do Estado de ações para fortalecimento da fronteira, com foco na busca de mecanismos para realização de uma vigilância integrada com o País vizinho.

A preocupação com o contrabando de agrotóxicos também foi externada, e os dois países devem avançar em um trabalho conjunto de integração das ações de combate e na análise do pedido do ministro paraguaio para unificação das regras de análise de resíduos de produtos do Brasil com as regras do Mercosul.

A conciliação dos calendários de vazio sanitário da soja visando ampliar o controle da ferrugem asiática entrou na pauta e na agenda do próximo encontro, que também tratará dos impactos econômicos da importação de arroz e trigo do Paraguai para o Brasil (e consequentemente Mato Grosso do Sul).  

O secretário Jaime avaliou a reunião como extremamente produtiva considerando a clara intenção dos dois países em realizar políticas conjuntas e tratar em especial das ações de defesa sanitária. “Olhando para o desenvolvimento da agricultura e pecuária sul mato-grossense, a integração que nós já temos hoje na exportação paraguaia, integração hidroviária e o futuro das agendas de médio e longo prazo, como podemos citar as pontes e o que elas trazem efetivamente de benefícios em termos de fluxo de mercadorias, o encontro de hoje marcou o começo de uma parceria das mais profícuas”, completou.

Sobre a rota bioceânica, uma nova alternativa de integração dos dois países que ampliará significativamente o fluxo de mercadorias adicionais, trouxe para a discussão a ampliação dos níveis de controle sanitário e alfandegário.   

O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, José Guilherme Leal, disse que as equipes técnicas vão estudar os assuntos e elaborar propostas para avançar num trabalho conjunto e uma nova reunião deve acontecer num prazo de 30 dias para avançar nos entendimentos.

Fizeram parte da comitiva sul mato-grossense o superintendente do Ministério da Agricultura (MAPA), Celso Martins, o secretário Especial do Escritório de Relações Institucionais e Assuntos Estratégicos do Estado no Distrito Federal, Pedro Chaves, o superintendente da Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção  Agricultura Familiar (Semagro) Rogério Beretta, e da comitiva do Paraguai a Ministra encarregada de negócios, Nimia da Silva Boschert, e os engenheiros agrônomos da presidência da república Rodrigo Navarro e Edgar Esteche.

Kelly Ventorim, Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro)

Foto: Divulgação