Em MS número de apreensão de drogas aumenta 42% no ano de 2017


Regiane Ribeiro Categorias: Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul 246 visualizações

Campo Grande (MS) – Dos estados brasileiros Mato Grosso do Sul está entre os que mais apreendem drogas. Ao longo de 2017 as polícias do Estado tiraram de circulação 427,5 toneladas de entorpecentes, batendo o próprio recorde de apreensões – de pouco mais de 300 toneladas em 2016.

Com ações diferenciadas, a Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar), o 14º Batalhão da Polícia Militar Rodoviária (BPMRv), o Departamento de Operações de Fronteira (DOF) e a Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira (Defron) são as responsáveis pelo maior número das apreensões. Elas atribuem o recorde de drogas tiradas de circulação no ano de 2017 a integração das forças policiais, aos investimentos que vem sendo feitos por parte do Governo do Estado e principalmente ao trabalho de inteligência dos organismos de segurança pública no Estado.

Para o comandante da Polícia Militar Rodoviária, tenente-coronel Luiz Carlos, o trabalho nas estradas e o apoio constante da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), com a aquisição de novas viaturas e armamentos, são fatores que tem contribuído para o aumento de apreensão de drogas.

“Embora a nossa missão principal seja a fiscalização das rodovias estaduais, devido a nossa posição geográfica também temos intensificado a atuação no combate aos crimes transfronteiriços, ações essas que fizeram com que atingíssemos a marca histórica de apreensão de drogas, totalizando mais de 86 mil quilos de entorpecentes. Tenho certeza que esse resultado só foi possível graças a presença marcante dos nossos policiais nas estradas e o trabalho do Governo do Estado no sentido de manter a tropa motivada, fazendo com que a nossa meta fosse superada não somente em relação às drogas, mas no combate a outros crimes como o contrabando de cigarros”, destacou o comandante da Polícia Militar Rodoviária.

Diretamente ligado à Sejusp, o DOF realiza o policiamento ao longo da faixa de fronteira e, somente em 2017, tirou de circulação quase 100 toneladas de drogas, superando as apreensões realizadas em todo ano de 2016 que chegaram a mais de 60 mil quilos. O comandante em exercício do departamento, tenente-coronel Gilberto Leite de Oliveira, afirma que esse resultado se deve as novas estratégias adotadas pela direção DOF, entre elas as ações integradas das áreas inteligência das polícias do Estado e também de outras localidades do país como São Paulo, Minas Gerais, Goiás, entre outros. “As medidas adotadas estão produzindo efeitos positivos para a segurança pública, e os números demonstram isso”, afirma o comandante do DOF.

Atuando em todo o Estado, a Delegacia Especializada de Repressão ao Narcotráfico (Denar) tem investido cada vez mais no trabalho de inteligência para realizar ações com o objetivo de desarticular as organizações criminosas que são, na maioria das vezes, responsáveis pelo abastecimento de pontos de vendas de drogas nos municípios do Estado e na Capital.

“Temos desenvolvido um trabalho de campo por meio das equipes de investigação, que tem sido responsável por tirarmos de circulação grandes traficantes. Podemos citar como exemplo recente a operação Ostentação, responsável pela prisão de 40 pessoas, apreensão de três toneladas de entorpecentes e vários automóveis de luxo”, enfatizou o delegado titular em exercício, Gustavo Ferrari. A Delegacia Especializada da Polícia Civil tirou de circulação no ano passado 257,2 quilos de cocaína e 7,2 toneladas de maconha.

Dados da Sejusp apontam que nos últimos cinco anos as apreensões de drogas cresceram mais de 200%, saltando de 136,2 mil quilos em 2013 para 427,5 toneladas em 2017.

Reportagem Regiane Ribeiro, Assessoria de Comunicação Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp)

Foto: Divulgação