Governo de MS e entidades do setor produtivo se unem em defesa da carne brasileira


jmachado Categorias: Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul 1159 visualizações

Campo Grande (MS) – O governo do Estado, a Famasul, Fiems, Faems, Fecomércio e entidades do setor produtivo de Mato Grosso do Sul e do governo federal reuniram-se nesta segunda-feira (20) na sede da Famasul e selaram um pacto em defesa da carne produzida e industrializada em Mato Grosso do Sul. As 19 autoridades presentes na reunião subscreveram uma carta conjunta de esclarecimento à sociedade sul-mato-grossense, atestando a qualidade do produto que é um dos pilares da economia estadual e cobram a devida punição das pessoas e empresas denunciadas na Operação Carne Fraca.

“Temos o entendimento e a concordância de que o nosso sistema de inspeção atende as mais rígidas normas do comércio internacional. Isso foi reforçado nessa reunião e agora vamos agir em todas as instâncias necessárias para recuperar o prejuízo causado à imagem da carne brasileira no mercado mundial. Ainda é cedo para avaliar os impactos, mas alguns países, como a China e o Chile suspenderam alguns embarques e isso nos preocupa. A primeira medida foi esse posicionamento conjunto das autoridades perante a sociedade reiterando a qualidade do nosso produto e a responsabilidade de toda a cadeia produtiva”, afirmou o secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck.

Na terça-feira (21), o secretário Jaime Verruck vai a Brasília para acompanhar as ações do governo federal, no âmbito dos ministérios da Agricultura e das Relações Exteriores para tranquilizar e manter as operações externas com os países que consomem a carne brasileira. “A maior parte da produção de carnes do país abastece o mercado interno, mas temos de agir para garantir mercados que conquistamos ao longo dos anos e são de grande importância para o agronegócio brasileiro e sul-mato-grossense”, informou o titular da Semagro.

Participaram da reunião o secretário adjunto da Semagro, Ricardo Senna, o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Eduardo Riedel. Confira abaixo a íntegra da Carta e as entidades que a subscrevem.

Entidades de MS reforçam qualidade da carne brasileira

O setor produtivo de Mato Grosso do Sul e representantes dos demais segmentos da sociedade, abaixo citados, reuniram-se nesta segunda-feira (20) na sede do Sistema Famasul – Federação da Agricultura e Pecuária para reiterarem a confiança na segurança e qualidade da carne produzida no estado e no país.

As entidades manifestam-se contrárias a todo e qualquer tipo de irregularidade que possa existir nas cadeias produtivas da agropecuária. Contudo, uma vez confirmado o registro de alguma atividade ilícita, é preciso ter cuidado e responsabilidade na divulgação desse ato para que casos pontuais não prejudiquem o importante trabalho desenvolvido por todos os elos do setor agropecuário.

Conforme dados da Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) possui 4.837 estabelecimentos registrados no Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (DIPOA). Deste total, apenas 21 estabelecimentos (0,43% do total) foram citados e somente 3 interditados, comprovando tratar-se de um problema pontual e limitado a um pequeno número de estabelecimentos.

As entidades ressaltam o trabalho exemplar realizado pelos fiscais agropecuários de Mato Grosso do Sul que, por muitos anos, desenvolvem suas atividades de forma ética e responsável.  

Os representantes esperam que as ações tomadas pelos órgãos competentes continuem demonstrando o alto padrão de qualidade da carne brasileira, consolidado pelas exportações de proteína de origem animal para mais de 150 países, dentre os mais exigentes do mundo (Europa, Japão e EUA).

  1. Mauricio Saito – presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de MS (Famasul).
  2. Sérgio Longen – presidente da Federação das Indústrias de MS (Fiems).
  3. Edison Araújo – presidente da Federação do Comércio de MS (Fecomércio).
  4. Alfredo Zamlutti Júnior – presidente da Federação das Associações Empresariais (Faems).
  5. Eduardo Riedel – secretário de Estado de Governo e Gestão Estratégica.
  6. Jaime Verruck – secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar.
  7. Cleber Soares – chefe-geral da Embrapa Gado de Corte.
  8. Nedson Rodrigues – presidente da Associação Sul-mato-grossense dos Produtores de Novilho Precoce.
  9. Rafael Gratão – presidente do Movimento Nacional dos Produtores (MNP).
  10. Jonatan Barbosa – presidente da Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul (Acrissul).
  11. Celso de Souza Martins – superintendente Federal da Agricultura (MAPA).
  12. Luciano Chiocheta – diretor-presidente da Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal).
  13. João Vieira de Almeida Neto – presidente do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV).
  14. Ivo Scarcelli – presidente do Sicadems (Sindicato das Indústrias de Frios e Carnes e Derivados do Estado de Mato Grosso do Sul).
  15. Celso Ramos Regis – presidente do Sistema OCB/MS.
  16. Adroaldo Hoffman – presidente da Associação de Avicultores de MS (Avimasul).
  17. Rainer Ruiz Goehr – representante Associação Sul-mato-grossense de Suinocultores (ASUMAS).
  18. Sérgio Luis Marcon – vice-presidente da Associação dos Produtores de Soja de MS (Aprosoja/MS).
  19. Luis Alberto Moraes Novaes – presidente da Fundação MS para Pesquisa e Difusão de Tecnologias Agropecuárias.

Marcelo Armôa – Asssessoria de Comuniação da Semade.