Na luta contra coronavírus reeducandos de presídios de MS produzem materiais para hospitais    


kfernandes Categorias: Fonte: Portal do Governo de Mato Grosso do Sul 206 visualizações

Campo Grande (MS) – Materiais como Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), materiais de higiene, álcool 70%, máscaras, capotes e gorros estão sendo produzidos por reeducandos de várias unidades penais de Mato Grosso do Sul.

A criação desta nova frente de trabalho, no combate a pandemia do Covid-19, vai amenizar a falta de equipamentos para profissionais de saúde que atuam na linha de frente do combate à pandemia. Todos os materiais estão sendo confeccionados dentro das normas sanitárias, conforme explicou o diretor-presidente da Agepen, Aud de Oliveira Chaves.

No presídio de Segurança Máxima, por exemplo, está sendo fabricado o álcool 70%. O trabalho é supervisionado pelo técnico da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) e conta com apoio da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande, e Central de Execução de Penas Alternativas (CEPA),  que destinou R$ 25 mil para aquisição de materiais, e da Universidade Católica Dom Bosco (UCDB), que doou 200 litros de água destilada para a produção. A produção atenderá demandas do próprio sistema penitenciário do Estado, assim como, Hospital Regional de Mato Grosso do Sul.

Os detentos da Máxima também confeccionam sabão líquido, hipoclorito de sódio (desinfetante), gorros, capotes e máscaras.

Já no Estabelecimento Penal Feminino “Irmã Irma Zorzi”, cinco detentas iniciaram os trabalhos de confecção de 30 capotes de napa azul royal, por dia. As peças serão distribuídas ao Hospital Universitário. Em Três Lagoas, os internos e internas trabalham para suprir demandas locais do Hospital Nossa Senhora Auxiliadora, produzindo aventais, máscaras e gorros.

Pelo trabalho, os reeducandos recebem remição de um dia na pena a cada três dias trabalhados, conforme estabelece a Lei de Execução Penal (LEP).

 

Katiuscia Ferna  ndes – Subsecretaria de Comunicação